Todos nós sabemos a importância que deve ser dada a pesquisa qualitativa, mas agora iremos um pouco mais além, iremos ver duas estratégias relevantes para os dias de hoje.

A Análise de Discurso e a Análise de Conteúdo são duas estratégias metodológicas utilizadas para examinar processos comunicativos.

Os pesquisadores podem utilizar diversas técnicas de coleta de dados: entrevistas, grupos focais, gravação de programas de TV, raspagem de notícias de jornais, raspagem de postagens em redes sociais etc.

53
Pode dar aquela ajuda pro Ibpad?

Você trabalha com Política?

Obrigado!!!

Mas além de uma técnica de coleta de dados, o pesquisador precisa escolher uma técnica de análise dos dados coletados. A Análise de Discurso e a Análise de Conteúdo desempenham esse papel.

O que é pesquisa qualitativa? Clique aqui para ver conteúdo completo.

Pesquisa qualitativa: Análise de Discurso

Análise de Discurso

A Análise de Discurso é utilizada para examinar textos orais e escritos. Linguagens não verbais também podem ser consideradas pela Análise de Discurso.

Se o pesquisador quer examinar uma entrevista concedida por um ator político a um programa de TV, por exemplo, a Análise de Discurso olha para o texto da entrevista e para a linguagem corporal do entrevistado e/ou do entrevistador.

Os sentidos implícitos da linguagem

A Análise de Discurso reflete sobre o texto de forma bastante aprofundada. O pesquisador olha para as condições de produção do texto e para os seus mais diversos significados.

Nas palavras de Mônica Cappelle, Marlene Melo e Carlos Alberto Gonçalves, a Análise de Discurso reflete sobre os sentidos implícitos da linguagem.

O pesquisador precisa considerar as questões sociais, históricas e ideológicas que estão associadas à linguagem. É por isso que a Análise do Discurso costuma ser utilizada para o estudo de um número pequeno de textos.

Você sabe qual é a diferença entre pesquisa qualitativa e quantitativa?

Pesquisa qualitativa: Análise de Conteúdo

A Análise de Conteúdo também é utilizada para examinar textos orais e escritos. Porém, ao contrário da Análise de Discurso, a Análise de Conteúdo tende a ser mais objetiva.

O pesquisador classifica os textos a partir de categorias pré-estabelecidas. Esse tipo de metodologia pode ser utilizada para o estudo de um número grande de textos. A Análise de Conteúdo pode ser uma pesquisa qualitativa ou quantitativa. 

Veja agora o artigo sobre pesquisa qualitativa e grupos focais aqui.

Análise de Conteúdo qualitativa 

A Análise de Conteúdo qualitativa procura interpretar os significados de um texto a partir de uma codificação manual.

Ou seja, o pesquisador precisa ler (ou assistir) todo o seu corpus de pesquisa e classificá-lo de acordo com as categorias de análise estabelecidas previamente.

É importante esclarecer que a Análise de Conteúdo qualitativa não rejeita a quantificação.

Nas palavras da pesquisadora Laurence Bardin Bardin: “Somente os índices é que são retirados de maneira não frequencial, podendo o analista recorrer a testes quantitativos”.

Análise de Conteúdo quantitativa

A Análise de Conteúdo quantitativa pode ocorrer de forma automatizada. Nessa técnica, o que importa é a frequência de aparição das palavras e a proximidade entre elas.

O pesquisador Emerson Cervi explica que a unidade de análise é a palavra isolada. “Mede-se a presença total (número de citações do termo/palavra), a presença relativa por subcorpus do texto e as relações com outros termos/palavras”.

Além de eliminar a subjetividade do pesquisador, essa técnica pode ser aplicada a grandes quantidades de textos.

Iramuteq

A Análise de Conteúdo quantitativa pode ser feita através do Iramuteq, um software gratuito que foi desenvolvido na França e funciona através da linguagem R.

Exemplo de Análise de Conteúdo qualitativa e quantitativa

No texto “Conversação política na fanpage do Movimento Brasil Livre”, os autores Rafaela Sinderski e Emerson Cervi fazem uma Análise de Conteúdo quantitativa de 11.082 comentários coletados na página do MBL.

O gráfico abaixo mostra as palavras que mais aparecem e que elas se dividem em quatro clusters: o cluster 1 relaciona à maioridade penal à segurança pública, o cluster 2 apresenta uma perspectiva educacional e os clusters 3 e 4 tratam também de outras questões  ligadas ao cenário político brasileiro.

Analise de Conteudo quantitativa

No texto “Como o agente fiscalizador utiliza a comunicação online?”, os autores Andressa Kniess e Jamil Marques fazem uma Análise de Conteúdo qualitativa de 4.212 postagens da Controladoria-Geral da União.

Eles leram todas as postagens e as classificaram de acordo com categorias pré-estabelecidas: assunto da postagem, menção de legislações na postagem, menção de atores políticos na postagem etc. 

Veja quais são as ferramentas utilizadas na pesquisa qualitativa.

Veja como fazer pesquisa qualitativa e grupos focais

Será que é tão difícil fazer uma pesquisa qualitativa e grupos focais? Bom, isso depende de alguns fatores.

Depende do quão você sabe e o quão disposto está para colocar em prática, e foi pensando nisso que a IBPAD resolveu facilitar a vida de quem precisa fazer pesquisa qualitativa de modo fácil. Até mesmo para quem não sabe nada sobre o assunto.

Para ajudar você nessa jornada de conhecimento, vamos deixar abaixo alguns artigos para estudo sobre pesquisa qualitativa:

5 publicações para se aprofundar em análise qualitativa.

3 Exemplos de Pesquisa qualitativa na Saúde.

Qual a relevância do uso da pesquisa qualitativa e quantitativa?

---
Para quem quer se aprofundar mais no uso de dados na política, o Ibpad lançou uma Formação completa com quatro cursos incríveis, confira:

Dados & Mapas – Identifique regiões de eleitores leais utilizando bases geolocalizadas
Pesquisas Eleitorais – Para tomar decisões corretas utilizando pesquisas de opinião
Pesquisa Qualitativa – Para entender como os eleitores pensam utilizando grupos focais
Inteligência de Dados em Mídias Sociais – Para quem quer ser relevante nas redes monitorando e analisando dados online